DEFESA, DESENVOLVIMENTO E SECURITIZAÇÃO NA FRONTEIRA SETENTRIONAL DA AMAZÔNIA BRASILEIRA: PREOCUPAÇÕES, ATORES E CONEXÕES REGIONAIS

Tiago Luedy Silva, Daniel Santiago Chaves Ribeiro

Resumo


As fronteiras da Amazônia setentrional brasileira apresentam particularidades como baixa densidade populacional e problemas econômicos que dificultam o desenvolvimento e a defesa na região. A porosidade das fronteiras, a falta de presença do Estado nestas áreas e a dependência dos grandes centros convertem essa região altamente estratégica em termos geopolíticos em espaços periféricos, onde a falta de desenvolvimento cria um ambiente de vulnerabilidade em termos de segurança. Embora as Forças Armadas estejam cada vez mais presentes nas fronteiras setentrionais, garantindo a soberania nacional e fomentando melhorias sociais, a relação necessária entre defesa e desenvolvimento ainda não tem tido a devida importância pelo poder central no país, especialmente na região amazônica. A ideia de que o desenvolvimento motiva a defesa na medida em que a defesa fornece escudo para o desenvolvimento, uma reforçando as razões da outra, tem sido vista de forma crescente no Brasil, ainda que faltem políticas públicas capazes de efetivar essa perspectiva

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/pracs.2016v9n3.p225-238

Direitos autorais 2016 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.