Ansiedade matemática e gênero no ensino fundamental

Leila do Socorro Rodrigues Feio, Edijane Gomes Borges, Dilene Kátia Costa da Silva

Abstract


Este artigo discute ansiedade matemática com estudantes de faixa etária entre seis a nove anos, considerando as suas respostas por gênero. Os dados foram coletados por meio de questionário adaptado do instrumento de Valeski e Stipek (2001). O questinário aplicou-se a vinte e seis estudantes do segundo ano do ensino fundamental, em Santana, município do Estado do Amapá, Brasil. Com base no método estatístico, conforme discutido por Crespo (2002), os resultados foram organizados em frequências relativas e gráficos de linhas construídos no Software Excel. Os estudantes não expressaram ansiedade à matemática ao responder o questionário. Este resultado leva-nos a inferir que, provavelmente, os métodos de ensino de seus professores tornam atrativas as aulas de matemática no ensino fundamental. Além disso, não idetificamos discrepâncias entre as respostas de meninos e meninas, ao questionário que buscou verificar os sentimentos em relação a matemática. Os resultados refletem sobre a importância da família e dos professores incentivarem o desenvolvimento da aprendizagem dos estudantes, pois há diversas situações didáticas e sentimentos presentes no ensino de matemática

Keywords


Ensino de Matemática, Ansiedade Matemática, Gênero, Ensino Fundamental

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2019 Science and Knowledge in Focus

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.