A valorização de conhecimentos do idoso na família e na sociedade brasileira: tradição e cultura em debate

Alexandre António Timbane, Juvani dos Santos Dorea

Resumo


Vivemos numa sociedade em que o papel do idoso vem se degradando ao longo dos tempos resultado em grande parte da mudança social e da perda de valores culturais e tradicionais. A população brasileira atingiu 208,4 milhões de habitantes em 2018. Cerca 13% dessa população é idosa e este número dobrará para 32% em 2060, segundo IBGE. A pesquisa visa (i) explicar a relação entre os saberes culturais e a transmissão por meio da oralidade; (ii) incentivar a melhoria da qualidade de vida dos idosos através da divulgação dos seus direitos e sua inclusão na vida social e; (ii) resgatar a convivência leal e respeitosa entre idosos e seus familiares. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica que busca através de dados e fundamentos teóricos explicar um fenômeno. Trazendo dados do Brasil e de São Francisco de Conde se conclui que apesar da existência de Leis e Decretos os idosos ainda estão desprotegidos porque falta a aplicação prática desses instrumentos. A família e a sociedade têm um papel importante na proteção e na valorização dos conhecimentos dos idosos em favor de uma educação moral dos jovens e adolescentes. O lugar do idoso não é o asilo nem na casa de repouso. O lugar do idoso é na família que o próprio idoso formou com sacrifício ao longo dos anos de carinho, amor e trabalho.


Palavras-chave


Idoso. Valorização. Tradição. Cultura.

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2021 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.