Invisibilidade da população ribeirinha ao acesso e efetivação das políticas públicas: as experiências no território em disputa de Anajás-PA

Eunápio Dutra do Carmo, Maria Elisane de Souza Silva

Resumo


A intensificação da ocupação de terras por agentes capitalistas no território de Anajás impulsionara a invisibilidade da população ribeirinha frente às políticas públicas. Por isso a necessidade de compreender as experiências desse território como forma de desvelar a realidade em que essa população está inserida.  O  histórico quadro  político revela como as formas de disputa, dominação e resistência são agenciadas na correlação de força presentes no município. É deste processo social que o território emerge como categoria central de análise crítica, tanto na perspectiva de entender a lógica de expropriação da terra, mas, sobretudo,  a agudização das expressões da questão social que os ribeirinhos vêm enfrentando. Com base em documentos históricos, entrevistas com entidades sociais e pesquisa de campo, via CRAS, junto às comunidades ribeirinhas, observa-se a manutenção de estruturas políticas e econômicas que privilegiam a elite regional/local em detrimento das populações camponesas, ribeirinhas e de pequenos proprietários que são socialmente invisibilidade, não obstante a história de luta e resistência que retualiza-se nos modos de vida, na preservação da natureza e na garantia de direitos. Todas foram herdadas e forjadas na história secular de índios, quilombolas e caboclos que enfrentaram processos genocidas de colonização e que estão inscritos, até hoje, no território.


Palavras-chave


Território. Exploração. Ribeirinhos. Políticas públicas.

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2020 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.