As condições da transnacionalidade na fronteira Amapá (Brasil) – Guiana Francesas (França)

Leone de Araújo Rocha, Marcus Cardoso

Resumo


Neste artigo procuramos lançar um olhar sobre a fronteira Amapá (Brasil) – Guiana Francesa (França) que privilegie um aspecto pouco trabalhado até então nos diversos estudos realizados sobre essa fronteira, o aspecto da transnacionalidade. Nesta abordagem, consideramos que os fenômenos transnacionais permeiam o fluxo migratório acionando redes simultâneas entre os dois territórios nacionais que movimentam pessoas, mercadorias, autoridades políticas, entre outros, remodelando as relações transfronteiriças principalmente quanto ao papel do Estado em ambos os países bem como, mais especificamente, a inserção dos brasileiros na cultura guianense francesa. O presente trabalho foi realizado mediante pesquisa bibliográfica envolvendo tanto os fundamentos teóricos par a análise bem como a leitura de material sobre a fronteira em questão, privilegiando as bibliografias que se aproximam de uma etnografia, fornecendo dados concretos sobre o modo de vida dos brasileiros num fluxo constante que vai além dos limites fronteiriços. Como principal conclusão, atestamos que a transnacionalidade, longe de ser apenas um efeito do fluxo migratório, condiciona e modela esse fluxo, fazendo com que características relevantes como reforçamento do controle francês sobre e os imigrantes e a existência de uma comunidade transnacional de brasileiros na Guiana Francesa sejam consequências da transnacionalidade.

Palavras-chave


Transnacionalidade, fronteira amapá-Guiana Francesa, migração

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2021 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.