O espetáculo cultural do capital: entretenimento, manipulação e hipnose das massas

Miqueias Serrao Marques

Resumo


O referente artigo propõe fazer uma incursão teórica em relação às críticas desenvolvida pelos frankfurtianos Adorno e Horkheimer sobre a “Indústria Cultural” e a sociedade de consumo, relacionando asociedade espetacular das imagens trabalhadas por Guy Debord, bem como aprofundar a discussão à luz da função que o “mass media” desempenha na vida do homem moderno e quais os objetivos e consequências sociais que a propaganda e os programas de entretenimento exercem sobre as massas sociais da qual os teóricos da Sociologia da cultura tanto destacam, em especial Merton, Lazarsfeld e Baudrillard. E por fim, buscar compreender o impacto que a Indústria Cultural e as tecnologias de informação, que estão a serviço da dominação do capital exercem sobre as identidades culturais dos indivíduos modernos, para tanto se recorre às abordagens de Hall e Jameson, permitindo um estudo dinâmico das transformações culturais mediante o crescente fenômeno da globalização, que segundo os autores provoca de maneira acentuada a institucionalização do consumo e uma constante ressignificação cultural.

 


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2013 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.