Religião, política e educação: Magno Malta e o Projeto de Lei Escola Sem Partido

Marcos Vinicius de Freitas Reis, Yuri Lima Pinheiro

Resumo


No decorrer da história da educação brasileira, percebe-se que a mesma esteve ligada de forma significativa ao elemento religioso desde o seu princípio. Tal influência foi adquirindo diferentes formas e com predominância inicial da igreja católica, até chegarmos à segunda metade do século XX, quando o crescimento dos evangélicos mudou os rumos da sociedade e possibilitou uma ampliação do seu espectro de ação, envolvendo inclusive o campo político. Nesse sentido, o ex-senador Magno Malta surge como um importante personagem, fruto dessa maior representatividade, atuando em prol da defesa de ideias conservadoras e antidemocráticas, materializadas na criação do Projeto de Lei (PL) Escola Sem Partido. Assim, o presente artigo se baseará em uma pesquisa documental, com posterior análise de conteúdo conforme Bardin (2002) e Moraes (1999), com enfoque nos argumentos do então senador para defender o PL e seu posicionamento, tendo em vista que tal proposta de alteração nas Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional desafia diretamente aspectos relacionados ao respeito à diversidade, laicidade e pluralidade e traz à tona a necessidade da luta constante por uma educação libertadora.

 


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2020 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.