Outro logos, outro éthos e outra práxis para a Clínica

Débora de Sá Ribeiro Aymoré

Resumo


A obra Clínica e Resistência, recém-lançada pela editora da Associação Filosófica Scientiae Studia, defende a necessidade de uma revitalização da clínica médica partindo de uma análise filosófica, histórica e epistemológica capaz de suscitar a resistência às práticas de normalização da saúde. Para tanto, incita a incorporação dos valores, o que estaria na contramão da chamada dicotomia entre fato e valor e, neste sentido, da própria ciência livre de valores. A questão da subordinação (ou não) da técnica à ciência é tratada ao longo da obra, concluindo-se em favor da aproximação da clínica à técnica mais do que à ciência, o que a recoloca diante dos problemas humanos concretamente vivenciados na história de vida, tais como o sofrimento, a doença, o envelhecimento e a morte.

 


Palavras-chave


Vitalismo; Saúde; Clínica

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/pracs.2019v12n1.p205-209

Direitos autorais 2019 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.