Reflexões sobre o debate da “nova” classe média no Brasil

Irenildo Costa da Silva

Resumo


Durante os primeiros anos do século XXI a sociedade brasileira apresentou avanços socioeconômicos, com o acesso de muitos indivíduos e famílias a melhores condições de renda, o que possibilitou a aquisição de bens de consumo materiais e imateriais por milhões de pessoas. Dentro desse contexto, muitas análises, em particular as economicistas, saíram no discurso de que o Brasil havia se tornado um país de classe média, atendendo, assim interpretamos, aos interesses políticos e de mercado. No entanto, no mesmo ponto de largada saíram, por outro lado, outras análises, aqui discutidas as sociológicas, as quais, por sua vez, buscavam mostrar que os números socioeconômicos não representavam uma tão propalada “nova” classe média, mas se tratava apenas do fato de que milhares de brasileiros saíram da extrema condição de vulnerabilidade. O nosso objetivo aqui é perpassar por entre essas duas perspectivas a partir de trabalhos em cada área, na tentativa de identificar e alinhar elementos que sejam recorrentes em cada uma dessas perspectivas, considerados para delimitar os debates em torno do que é a “nova” classe média no Brasil, nos questionando se são adequados em suas delimitações.

Palavras-chave


Classe média; Economia; Sociologia.

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2020 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.