Educação ambiental, gênero, sexualidade e luta de classes: algumas reflexões sobre política, educação crítica e transformação social

Mateus Luiz Biancon, Flávia Wegrzyn Martinez

Resumo


A educação ambiental e as questões de gênero e sexualidade contribuem para o processo de emancipação humana e devem ser discutidas na educação escolar, especialmente na escola pública. Visto que o desenvolvimento de um processo que objetiva a construção de uma sociedade igualitária e justa, só pode ocorrer a partir dos embates dentro do modo de produção capitalista, ou seja, a partir de um processo histórico de luta, defende- se que as discussões sobre as questões de gênero e sexualidade bem como a educação ambiental devem orientar-se a partir da filosofia da práxis. Desta forma, a partir de Saviani (2005, 2008, 2011), Lukács (1969, 1978, 1979), Biancon, (2016), este artigo tem como objetivo apresentar a necessidade da participação política para a transformação da sociedade contemporânea e analisar o papel da educação crítica no processo de transformação social considerando a educação ambiental e as discussões de gênero e sexualidade e a luta de classe. Como método de análise adotou-se o materialismo histórico dialético. 


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/pracs.2018v11n2.p21-30

Direitos autorais 2019 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.