Corporificações urbanas: grafite e pichação

Maria de Fátima Garcia dos Santos

Resumo


O texto discute grafite e pichação à luz do conceito filosófico de homo sacer, que relaciona o profanar e o secularizar, como ações de outros campos na história, tais como o sociológico e o estético, aqui postos para refletir sobre os movimentos da arte no contemporâneo com a tradição. Visa um outro olhar para grafite e pichação em suas singularidades conceituais, crises de formação e visualização na cidade.


Texto completo:

PDF português


Direitos autorais 1969 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.