POLOS, EIXOS E ZONAS: CIDADES E ORDENAMENTO TERRITORIAL NA AMAZÔNIA

Saint-Clair Cordeiro da Trindade Júnior, Welbson do Vale Madeira

Resumo


Uma fase de rápida ocupação do território foi inaugurada a partir da década de 1960 na Amazônia. A presença de empresários, especuladores e migrantes, mediados por ações intencionais do Estado, definiu uma nova forma de ocupação territorial para a região. As estratégias de ação se basearam em pelo menos três tipos principais de ordenamento do território. Não obstante a continuidade existente entre eles, expressam-se em diferentes geometrias do desenvolvimento: os pontos (polos de crescimento), as linhas (eixos de integração) e as zonas (zoneamento ecológico-ecomico). Considerando esses diferentes arranjos territoriais, o artigo busca considerar o papel assumido pelas cidades em cada uma dessas estratégias de desenvolvimento regional, de forma a mostrar mudanças e continuidades que se fazem presentes na história regional recentente da Amazônia

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/pracs.2016v9n1.p37-54

Direitos autorais 2016 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.