PRÁTICAS ESPACIAIS E USOS NOS ESPAÇOS PÚBLICOS DAS PRAÇAS EM CAPITAIS DA AMAZÔNIA ORIENTAL BRASILEIRA: OS CASOS DE BELÉM E MACAPÁ

Olavo Fagundes da Silva

Resumo


As cidades da Amazônia brasileira e mais especificamente duas capitais de sua porção oriental, Belém e Macapá, compartilham das mesmas águas da grande foz do Amazonas, mas também de novas dinâmicas espaciais urbanas. Este trabalho teve como objetivo analisar, avaliar e caracterizar as práticas espaciais em três praças na cidade de Belém e três praças na cidade de Macapá. Objetivou ainda, apontar elementos de estudo que pudessem servir como suporte à decisão no planejamento e desenvolvimento de políticas voltadas para a melhoria desses espaços públicos. A partir do estudo de três praças na cidade de Belém-PA e três na cidade de Macapá-AP, este trabalho avaliou a frequência de visitação e os usos desses espaços públicos no cotidiano. A coleta de dados e informações foi realizada a partir da abordagem de 102 frequentadores e através de registro fotográfico e de informações que denotassem os usos das praças. O trabalho resultou numa avaliação da frequência de visitação e tipificação dos usos dos lugares pesquisados, apontando práticas espaciais preponderantemente dominadas por atividades e grupos específicos. Esses grupos organizados reúnem-se quase sempre em determinados horários e dias da semana e ratificam forte comprometimento com os espaços públicos nas cidades alvo do estudo


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/pracs.2016v9n3.p11-32

Direitos autorais 2016 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.