IMPACTOS DA MODERNIZAÇÃO AGRÍCOLA NAS ÁREAS RURAIS DO MUNICÍPIO DE ÁGUAS DE CHAPECÓ – SANTA CATARINA

Cristiane Tonezer, Clarete Trzcinski, Carlos Eduardo Arns

Resumo


A modernização agrícola, ocorrido a partir das décadas de 60 e 70 no Brasil, embora tenham logrado êxito no campo produtivo e econômico, gerou uma série de problemas, dentre eles o aumento da desigualdade social e degradação ambiental. Este artigo tem como objetivo analisar as realidades rurais do município de Águas de Chapecó e os impactos da modernização agrícola nestes espaços. Trata-se de um estudo do tipo qualitativo. Os instrumentos utilizados na geração de dados foram baseados em fontes bibliográfica, dados sociodemográficos do IBGE (2000, 2010) e por um relatório elaborado no ano de 2015 pelo Programa de Apoio a Processos Participativos de Desenvolvimento Local (PAPEL) da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Dentre os resultado observou-se que, apesar de ser uma alternativa para os agricultores, o processo de integração agroindustrial ocorrido no município de Águas de Chapecó gerou uma série de consequências negativas, dentre elas destacando-se a desvalorização do preço dos produtos agrícola devido ao aumento da oferta, dependência financeira dos agricultores em relação empresas integradoras e as agências de crédito, aumento do êxodo rural e da degradação ambiental e perda da diversidade e identidade produtiva.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/pracs.2017v10n2.p51-64

Direitos autorais 2017 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.