Raça, desigualdade e o poder da representação na Amazônia

José Maria da Silva

Resumo


Partindo da premissa de que representações sociais derivam de discursos e ações e que se apresentam como instrumentos de poder nas relações entre alteridades, este trabalho tem por objetivo examinar o processo de constituição de representações dominantes sobre a Amazônia. Neste sentido, o artigo analisa brevemente a formação de imagens e discursos sobre a região, a partir de elaborações de viajantes, cientistas, intelectuais e eventos sobre a natureza, os grupos humanos e aspectos culturais, os quais se constituíram em forças poderosas de representações. Destaca-se nesse contexto um discurso sobre raça e etnicidade vinculado à idéia de representação regional amazônica, em que se destacam índios e caboclos.

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 1969 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.