ENTRE PERCURSOS, LUGARES E FRONTEIRAS DO AMAPÁ, RUMO À TERRA PROMETIDA

Silvia Carla Marques Costa

Resumo


A proposta deste texto é refletir o imaginário social e as crenças percebidas como representação do povoamento do Estado do Amapá. Ademais o texto chama atenção ao tratamento dado às políticas imigratórias na região de fronteira, Brasil e França. Trata-se de uma reflexão que sublinha o papel que essas políticas ocupam para contribuir com o melhoramento na qualidade de vida dos habitantes da fronteira. Este ponto geográfico, o Amapá, ainda pouco conhecido, constitui-se de um espaço hibrido em permanente processo de negociação das identidades. Compreender este espaço é revelar as negociações elaboradas nos interstícios dos processos culturais identitário. As relações de poder decorrente das experiências coletivas vão sendo dinamizadas nas fronteiras por meio de imaginário simbólico. A equação estabelecida tanto pelo atrativo econômico quanto pelo espirito de protagonismo social - numa terra em que tudo estar por fazer - é que mobiliza a esperança, o imaginário de sucesso, os desejos que reverberam a expectativa de ser o Amapá: “a terra prometida”. 


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/pracs.2016v9n2.p73-88

Direitos autorais 2016 PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.