A proteção do passado: gestão participativa e educação patrimonial como instrumentos de salvaguarda do patrimônio arqueológico na Amazônia

Ana Cristina Rocha Silva, Edinaldo Pinheiro Nunes Filho

Resumo


A inserção dos bens culturais ao conceito de meio ambiente proporcionou o fortalecimento desse patrimônio através da tutela jurídica ambiental. A existência de um rol de instrumentos judiciais e extrajudiciais não vem sendo suficiente para resguardar o patrimônio cultural arqueológico na Amazônia. A humanidade da região não possui identificação étnica e afetiva com os testemunhos deixados por grupos pré-históricos que habitam o lugar há milênios. Na dificuldade da proteção e fruição desses bens via instrumentos legais, políticas públicas alternativas devem ser executadas. A gestão participativa e a educação patrimonial são apontadas aqui como instrumentos de proteção, salvaguarda e reconquista da identidade cultural

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 1970 Planeta Amazônia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.