O mecanismo de desenvolvimento limpo e os benefícios para o Estado do Amapá

Diego Moura de Araújo

Resumo


O mercado de carbono, desde o Protocolo de Quioto em 1997, ganhou importância mundial no controle de emissão de gases geradores do efeito estufa. Sua comercialização pode ser realizada no mercado voluntário ou obrigatório, este último, criado pelo Acordo de Quioto, com ênfase no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL). O Estado do Amapá está atrasado em termos de legislação específica sobre esse mecanismo de flexibilização. E isso dificulta a criação de projetos de pequena escala que poderiam trazer benefícios ambientais e sociais ao Estado

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 1970 Planeta Amazônia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.