Racionalidade camponesa e instituições: reflexões sobre o desenvolvimento da Amazônia

Adalberto Carvalho Ribeiro

Resumo


Este artigo está dividido em duas seções. A primeira faz uma análise da racionalidade camponesa inserida nas estruturas capitalistas. Defende que a economia camponesa, por meio da unidade familiar está afeita ao tipo de racionalidade que Habermas chamou de racionalidade comunicativa. A segunda procura entender o papel das instituições regionais no desenvolvimento da Amazônia. Ao final aponta-se, como saída teórica, a proposição de Habermas, que seria juntar a racionalidade burocrática cognitivo-instrumental com a racionalidade comunicativa para melhor conformar o desenvolvimento da região.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 1970 Planeta Amazônia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.