ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO CAMPUS DO ITAPERI E SEU ENTORNO (FORTALEZA, CEARÁ): O USO DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO NO AUXÍLIO À PROTEÇÃO AMBIENTAL

Vanessa Barbosa de Alencar, Suedio Alves Meira, Lucia Maria Silveira Mendes

Resumo


O estudo ambienta-se na área urbana de Fortaleza - Ceará, área com relevante potencial hidrogeológico, ecossistemas frágil e alta concentração populacional. O objetivo foi determinar componentes ambientais das Áreas de Preservação Permanente das Lagoas da Maraponga e Itaperaoba, Riachos do Alto da Coruja e Itaperi, além do Açude do Campus do Itaperi, para diagnosticar o seu estado atual de uso e ocupação. Metodologicamente, utilizou-se levantamentos bibliográficos, aquisição, análise e tratamento de dados geocartográficos que resultaram em mapas temáticos, permitindo a identificação dos impactos ambientais, o desrespeito à legislação ambiental e a ineficiência quanto a gestão desses espaços pelo poder público.

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/planetaamazonia.2017n9.p45-59

Direitos autorais 2018 Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Planeta Amazônia: Revista internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas (ISSN 2177-1642). Publicação oficial do Programa de Mestrado em Direito Ambiental e Políticas Públicas da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP.