A CARTOGRAFIA QUE O PLANEJAMENTO URBANO FORMAL NÃO VÊ: TRAJETOS URBANOS E LUGARES DE AFETO DAS MORADORAS DO BAIRRO DELTA DO MATAPI EM SANTANA - AMAPÁ

Jesiane da Silva Barbosa, Eliane Cabral da Silva

Resumo


O presente trabalho é um estudo de caso realizado com moradoras do Bairro do Delta do Matapi em Santana - AP; buscou, a partir da análise dos trajetos urbanos realizados, evidenciar uma cartografia dos lugares de afeto das mulheres no interior do bairro. A intenção da pesquisa foi, via construção de mapas mentais pelas moradoras, demonstrar e valorizar lógicas de uso do território, diferentes daquelas que comandam o planejamento urbano formal, na maioria das vezes, pautadas pelo uso racional e eficiente dos espaços, especialmente do ponto de vista econômico.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/planetaamazonia.2017n9.p01-11

Direitos autorais 2018 Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Planeta Amazônia: Revista internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas (ISSN 2177-1642). Publicação oficial do Programa de Mestrado em Direito Ambiental e Políticas Públicas da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP.