Aqui se diz carapanã! Variação linguística, identidade e humor nas aulas de estudos paraenses em tempo de pandemia

Davi Pereira de Souza, Carlene Ferreira Nunes Salvador

Resumo


O objetivo deste artigo consiste em avaliar como a variação linguística influencia na noção de construção da identidade dos indivíduos, neste caso, a partir de uma faceta muito utilizada nos discursos, o humor. Para tanto, o aporte teórico adotado está circunscrito a Labov (1972; 1980) no que diz respeito à variação linguística, Rajagopalan (1998) em razão do tratamento dado à questão da identidade e Possenti (1998) em referência ao viés humorístico presente nas facetas da língua. Do ponto de vista metodológico, a pesquisa segue a proposta de um estudo de caso conforme Yin (2018) por tratar-se de um fenômeno contemporâneo, cuja amostra foi extraída da fala dos personagens presentes no vídeo Estudos Paraenses, postado na plataforma Youtube no canal Pavulagem do internauta Bob Flly. Os resultados apontam variação em nível lexical, como por exemplo, lagartixa > osga, libélula > jacinta, mosquito > carapanã, louva-a-deus > punha mesa; fonética, como em p [o] nha mesa > p [u] nha mesa; e semântica, observada em perereca, com os sentidos relacionados à rã e referente à vulva.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2020v10n1.p63-75

Direitos autorais 2021 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.