A desobediência prometeica e a liberdade tirânica

Mellyssa Coêlho de Moura, Orlando Luiz de Araújo

Resumo


O titã Prometeu se tornou símbolo do nascimento da humanidade e da liberdade devido à sua maior façanha contra os deuses: o roubo do fogo negado aos homens e sua devolução para a manutenção de sua sobrevivência. Fruto de sua transgressão e desobediência, seu ato encontra justificativa na descrição tirânica e impiedosa de Zeus, que oprime a raça dos mortais. Diante disso, almeja-se analisar as motivações que culminaram na rebeldia do titã, dentre elas seu apego aos mortais e a tirania do pai de deuses e homens, para evidenciar que a hybris de Prometeu, embora desmedida, foi necessária para a sobrevivência da raça dos homens. Para isso, os estudos de Torrano (2009), Jaeger (1995) e outros, aliados à análise de Prometeu Acorrentado de Ésquilo, são empregados de forma a atender o objetivo proposto.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2021 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.