Da doença selvagem a l’immonde blessure: recepção da antiguidade no Filoctetes de André Gide e sua relação com o caso Dreyfus

Mateus Dagios

Resumo


O texto é desenvolvido no âmbito do conceito de recepção da antiguidade para abordar a tragédia Filoctetes de Sófocles (409 a.C.) e a peça Filoctetes ou o tratado das três morais (Philoctète ou le Traité des trois morales, 1898) de André Gide. Para isso, é mapeada a doença como elemento de significação e problematização nos dois textos: o Filoctetes de Sófocles com uma doença selvagem (ágria nósos) e o Filoctetes de Gide com “l’immonde blessure”. Defende-se que o texto de Gide faz referência a questões em torno do polêmico Caso Dreyfus, analisando como o autor francês se apropria do mito grego para fazer um relato das injustiças que são cometidas em nome do patriotismo.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2021 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.