A Doce França: uma análise dialógico-discursiva

Sandra de Barros

Resumo


Procuramos, neste trabalho, compreender a construção da imagem da França em sua canção popular, tomando como exemplo a canção Douce France, de Charles Trénet. Tendo como base teórica a Análise Dialógica do Discurso do Círculo de Bakhtin (Volóchinov, 2017 [1929], 2019 [1921-1930] e Bakhtin, 1997, 2016 [1952-1953]), buscamos observar a canção objeto de estudo como um enunciado concreto pertencente a um gênero discursivo, a canção popular, que possui características específicas na combinação entre uma forma verbal e uma forma musical.  Dando maior ênfase à letra da canção, mas não desprezando efeitos que a conjunção entre esta e a melodia trazem para construção de sentido do discurso, guiamo-nos também pelas ideias desenvolvidas por Caretta (2013), sobre a análise dialógica da canção popular. Consideramos ainda que todo discurso está inserido em um contexto histórico-social concreto. Além disso, conforme as premissas da análise dialógica, em que todo enunciado – inclusive a canção popular – é um elo na cadeia discursiva da humanidade, nossa análise verificou as relações de sentido advindas da ligação da canção com outros discursos, destacando-se a presença de relações dialógicas com a literatura que se mostraram importantes na construção tanto do sentido geral da canção como da imagem da doce França nela veiculada.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2021 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.