Análise morfológica de narrativas e o uso de redes bayesianas para análise da tipologia do narrador

José Guilherme dos Santos Fernandes, Isabela Santos Fonseca, Marcos César da Rocha Seruffo

Resumo


Tem-se como objetivo determinar as marcas discursivas do narrador, bem como descrever o envolvimento deste com o objeto narrado, partindo-se de uma análise qualitativa, com o modelo de Análise Morfológica de Narrativas, e quantitativa, com o modelo de Redes Bayesianas, considerando como objeto 52 narrativas míticas. Pode-se observar uma tipologia do narrador com base no seu envolvimento com o objeto narrado: o narrador autodiegético envolve-se mais euforicamente, contrariamente ao homodiegético, que não se envolve no mesmo nível, mas mantém uma relação de afetividade com o protagonista; o heterodiegético, por sua vez, é o tipo que mais se distancia, pois é um sujeito que está de fora e por vezes apenas tece sua visão acerca dos fatos, mas ainda sim mantém uma relação eufórica. A depender do caráter do narrador, este pode estabelecer, por meio de seu envolvimento com o objeto, uma determinada veracidade em relação ao que é narrado.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2020 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.