Literatura e Jornalismo em orquestração com a crônica no debate sobre a educação brasileira dos anos 1930

Regina Lúcia da Silva Nascimento

Resumo


O objetivo deste texto é justificar a aproximação entre Literatura e Jornalismo, dois bens culturais que têm como objeto acontecimentos do cotidiano. Nesse contexto, por meio da publicação de crônicas em uma seção de jornal, Cecília Meireles, na condição de educadora e jornalista, combateu as arbitrariedades dos poderes executivo e eclesiástico relacionadas ao cenário educacional, por ocasião do Governo Provisório de Getúlio Vargas, ao defender a Escola Nova, uma teoria pedagógica alicerçada em conceitos de linhas europeia e norte-americana, as quais valorizavam os estudos realizados nos campos da Biologia, da Psicologia e da Sociologia. À luz desse tripé científico foi lançado o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova de 1932, no qual vinte e seis signatários, dentre eles, Cecília Meireles, defendiam a renovação educacional brasileira.

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2018v8n3.p197-203

Direitos autorais 2019 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.