Malinche: entre o imperialismo espanhol e um novo projeto de nação imaginada para o México

Valdirene Rosa da Silva Melo

Resumo


Malinche, publicado em 2006 pela escritora mexicana Laura Esquivel, é uma versão romanceada que une fatos históricos à imaginação na narrativa que descreve a trajetória da índia asteca Malinalli, mais conhecida como Malinche, e o seu controvertido papel como intérprete e tradutora do colonizador espanhol Hernán Cortés no processo de colonização e conquista do México, que culminou com o massacre e extinção da civilização asteca pelo imperialismo espanhol. O objetivo deste trabalho será desenvolver, sob a ótica dos estudos pós-coloniais, uma leitura da obra que se proponha a detectar traços marcantes do imperialismo espanhol, que detentor de vetores de força e poder tenta impor através da barbárie, a cultura, a língua, a religião e os costumes ocidentais para as populações indígenas. Também será proposta uma leitura que leve a uma apreciação da índia Malinalli como um ser dividido entre várias culturas, levando-a a um processo de hibridização cultural que culminaria, dentro de seus questionamentos, a um novo projeto de nação imaginada para o seu povo, e que por força da violência da colonização impetrada pelo colonizador europeu, não pode ser compreendido e posto em prática.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2020 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.