A POESIA DE HERMES FONTES E O CONSTANTE USO DA MELANCOLIA EM SUA OBRA

Silvana Andrade Fontes

Resumo


As reflexões deste artigo centram-se na análise da importância da Poesia de Hermes Fontes e o constante uso da melancolia em sua obra. Hermes Fontes é natural de Boquim-Sergipe e pode ser considerado um dos maiores poetas de sua época, fez grande sucesso em sua terra natal por possuir uma rara inteligência e uma memória prodigiosa. Com a ajuda do ex-governador da província Martinho Garcez é levado para o Rio de Janeiro quando tinha nove anos de idade, com o intuito de aprofundar seus conhecimentos.
Amparado pelo seu protetor, fez curso de direito, mas se dedicou a carreira burocrática, classificando-se em primeiro lugar em concursos a que se submeteu para os Correios e Telégrafos. E ainda adolescente Hermes Fontes consegue conquistar a admiração de poetas consagrados. A publicação de suas primeiras obras trouxe-lhe imediata consagração e Hermes Fontes transforma-se em celebridade nacional.            
Seu drama conjugal e algumas desilusões de ordem política e particular levaram-no a utilizar a melancolia como característica principal de sua obra poética. Foi um simbolista notando-se, entretanto que em sua poesia não deixou também de ser um romântico e um parnasiano. Hermes Fontes tinha grande domínio da palavra poética e seus versos são ricos de beleza. Matou-se com um tiro na cabeça, na época do Natal de 1930, no Rio de Janeiro. Hoje é um poeta quase esquecido, injustamente.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2013 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.