A LINGUAGEM LITERÁRIA DOS ÍNDIOS XOCÓ: A RE-AFIRMAÇÃO DA IDENTIDADE CULTURAL

Kelber Rodrigues Souza

Resumo


O principal grupo de remanescentes dos índios xocó habitam hoje às margens do rio São Francisco, na Ilha de São Pedro e Caiçara, no município de Porto da Folha, neste estado. Após séculos de atribulações históricas, os Xocó foram declarados oficialmente “extintos”, perdendo o direito sobre seu território; esqueceram sua língua e sua cultura oficial, como também, miscigenaram-se com outros grupos, principalmente os negros, perdendo suas características fenotípicas. Em meados do século passado, com a ajuda do órgão indigenista oficial, o grupo passa novamente a ser reconhecido oficialmente como índio. Com a preocupação de manter vivos os traços culturais da comunidade indígena, surge a necessidade de se fazer registro da história de luta e de preservação. Assim nasce uma produção escrita com o intuito principal de relatar a história do povo Xocó e de preservar sua língua, costumes e rituais. Nesta escrita os nativos registram as lutas pela retomada das terras (Caiçara e Ilha de São Pedro), as questões sociais vivenciadas na comunidade, os cantos de agradecimento ao Deus Ourumpá, de modo que os seus descendentes possam ter conhecimento dos fatos ocorridos no passado, valorizando a sua cultura e, consequentemente, sua identidade indígena.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2013 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.