INFINITIVO PERIFRÁSTICO EM PB: ESTRUTURA INOVADORA?

Jacqueline Borges Assis

Resumo


O fato de o infinitivo perifrástico (verbo auxiliar+estar+-ndo/ estar+-ndo) constituir estrutura canônica em contextos específicos é comprovação de que a estrutura não é recente na Língua Portuguesa. A sua inovação, que torna a estrutura estranha aos falantes do Português padrão, está no contexto em que vem sendo empregada. À análise deste contexto e dos elementos que potencialmente contribuem para sua aceitação/ não aceitação é que se propõe o presente estudo. Esta análise surgiu da necessidade de se estabelecer critérios para a seleção da amostra de minha pesquisa de mestrado que teve como foco somente o emprego não canônico dessas perífrases. O estudo conclui que a combinação das propriedades delimitado/ não-delimitado do verbo principal com o operador aspectual “estar+-ndo” e a iteração do complexo com adjuntos adverbiais aspectualizadores é responsável pela diferença de aceitação obtida a partir de perífrases formalmente semelhantes.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2013 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.