O conceito de produção textual nas OCEM: um caso de transposição didática

Antonio Naéliton do Nascimento, Denise Lino de Araújo

Resumo


Documentos normativos do ensino, ainda que supostamente neutros, expõem um conjunto de concepções, princípios e orientações, que podem vir a influenciar  a prática docente. Diante disso, tomamos como documento nesta pesquisa as Orientações Curriculares para o Ensino Médio (OCEM, 2006), que se apresentam como um instrumento didático capaz de dar suporte ao professor quanto a procedimentos teórico-metodológicos a serem adotados. Levando em consideração a área de Linguagens e a disciplina de Língua Portuguesa, este trabalho tem como foco apresentar a (des)montagem (Le Goff, 1997) da arquitetura conceitual do documento, cujas opções teóricas não estão indicadas no corpo do texto. A partir de pesquisa documental, de base qualitativo-interpretativista e situada no campo crítico-colaborativo da Linguística Aplicada (LA), investigamos a Transposição Didática (CHEVALLARD, 1991) que (re)define o conceito de Produção Textual. Para tal investigação, apoiamo-nos na teoria da Transposição Didática, Chevallard (1991), Marandino (2004); em conceitos de Produção Textual, Bentes (2004), Koch (2009); e nos Estudos sobre Currículo, Silva (2005) e Macedo (2012). Os resultados apontam para uma concepção de produção textual articulada com outras noções e em consonância com os estudos linguísticos mais recentes, possuindo notável coerência teórica. Isso parece conferir uma natureza mais pedagógica e menos técnica ao objeto de ensino em referência, pressupondo um professor conhecedor das teorias com as quais este currículo foi elaborado.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2020 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.