“A VOLTA DO MARIDO PRÓDIGO”: RELEITURA DA PARÁBOLA CRISTÃ

Marília Angélica Braga do Nascimento

Resumo


Resumo: O conjunto da obra de João Guimarães Rosa congrega as mais diversas fontes culturais e religiosas, as quais manifestam-se, entre outras formas, nas crenças e nas atitudes das personagens que compõem sua prolífica galeria. Representações do aspecto religioso podem ser notadas já na obra de estreia do escritor mineiro, Sagarana (1946), como podemos observar, por exemplo, na trajetória – de inspiração judaico-cristã – de Augusto Matraga, o arrogante fazendeiro que se converte em santo, e no percurso traçado por Lalino Salãthiel, o marido pródigo que nos remete à conhecida parábola, enunciada por Jesus Cristo, registrada no evangelho escrito por São Lucas. Assim, este estudo, de natureza comparativa, empreende uma análise da novela “A volta do marido pródigo”, procurando elucidar os principais elementos que se destacam na releitura proposta pelo autor. Os resultados evidenciam o caráter a um só tempo dessacralizador e inovador do texto rosiano, constituindo-se este como uma espécie de “contra-parábola”.

Palavras-chave: Guimarães Rosa. A volta do marido pródigo. Personagem. Religião. Lalino Salãthiel.




Direitos autorais 2019 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.