Machado de Assis, cronista: o espiritismo kardecista sob a pena da galhofa

Fábio da Silva Júnior

Resumo


Este artigo busca compreender como a temática espírita aparece em crônicas de Machado de Assis. Mais especificamente, este estudo se volta para as crônicas publicadas nas cinco séries escritas pelo autor, entre os anos de 1883 e 1897, para o jornal carioca, Gazeta de Notícias. Considerando as mudanças sociais pelas quais o Brasil passou entre as décadas de 1860 e 1890, a situação dos espíritas também se modificou, o que resultou dos progressos e retrocessos políticos do país. Acompanhando as mudanças sociais em seu entorno, Machado também tematizou a ascensão espírita, mostrando sempre o seu posicionamento com relação à nova doutrina. Com isso, visando uma melhor compreensão a respeito do assunto, esta pesquisa busca compreender os recursos utilizados pelo autor para realizar suas críticas contra o espiritismo, especialmente, porque fez uso de diferentes estratégias para escrever cada uma das séries. Dessa forma, na medida em que o espiritismo passou por um processo de ascensão na sociedade oitocentista brasileira, Machado tornou a doutrina tema de suas crônicas, transformando o assunto em uma verdadeira forma de fazer troça dos espíritas, ao mesmo tempo em que converteu a temática em uma forma de criticá-los.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2018v8n3.p115-125

Direitos autorais 2019 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.