Entre deuses e um deus: a vivência da fé nos personagens de Hibisco Roxo, de Chimamanda Ngozi Adichie

Mariana Antônia Carvalho, Francisco Célio da Silva Santiago

Resumo


O presente trabalho objetiva uma análise dos elementos religiosos que norteiam e servem como mecanismos temporais no romance Hibisco Roxo (2011), da nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. Publicado em 2003, o primeiro romance da autora aborda um núcleo familiar permeado pela violência doméstica que utiliza do pretexto religioso como uma das maneiras de infligir agressões. O personagem Eugene, tenta seguir com rigor os preceitos católicos e a cultura inglesa, e quando seus familiares não os executam com perfeição, provoca uma ira em si e opta em violentá-los com agressões físicas. Em contrapartida, há o seu pai, Papa-Nnukwu, um ancião tradicionalista que não permite ter seus costumes igbos interferidos; e Tia Ifeoma que consegue transitar pelas duas religiões – tradicional e católica – e extrair o que de melhor elas podem oferecer. Utilizaremos os estudos de Hall (2003), Bonnici (2009), Said (2007) sobre o choque cultural de culturas diferentes e a imposição da metrópole sobre a colônia, visto que a Nigéria foi por muito tempo colônia inglesa. Sobre o elemento das aparições de Nossa Senhora na narrativa, utilizaremos as ideias de Clodovis M. Boff (2006) sobre o papel de Maria como elemento nacional e suas aparições como fomentadora da religiosidade popular.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2018v8n4.p37-45

Direitos autorais 2019 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.