O ensino da linguagem oral: da academia à educação básica – prática possível?

Adriana Carvalho Souza Castro, Adelma das Neves Nunes Barros-Mendes, Juliana da Costa Castro

Resumo


Com o advento dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), se trouxe para a escola brasileira, no que diz respeito ao ensino da Língua Materna, não objetos de ensino novos, mas olhares e interpretações resignificados desses objetos como a linguagem oral. Considerando a reivindicação desse objeto para ser ensinado nas escolas o foco da investigação aqui refletida, se fez sobre os Projetos Pedagógicos de Curso (PPC) do curso de Licenciatura em Letras de 39 Instituições de Ensino Superior com o objetivo de construir um mapa do trabalho com oral e a partir dele compreender as concepções que circulam na academia acerca do ensino desse objeto. Metodologicamente, amparados na pesquisa em Linguística Aplicada, lançamos mão da perspectiva do Paradigma indiciário (GINSBURG, 1992; BRAIT, 2002), realizando um levantamento em sites de diversas universidades públicas e privadas verificando-se os PPC dos cursos de Letras. Desse levantamento mapeou-se 39 PPC de Letras, assim, como resultado verificou-se que há perspectivas diversas acerca do tratamento com a linguagem oral, tal análise permitiu uma maior reflexão sobre as possíveis causas da fragilidade desse objeto na educação básica.

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2019 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.