SHAKESPEARE NA IRLANDA: METATEATRALIDADE EM MUTABILITIE

Mariese Ribas Stankiewicz

Resumo


Em Mutabilitie (1997), observa-se que Frank McGuinness interessou-se por reflexões filosóficas e ideológicas, ao considerar o valor dos registros históricos, biográficos e literários para que enfim pudesse se apropriar das informações contidas neles, criando uma história contada sob a perspectiva irlandesa. Sob a luz do conceito de metateatro de Lionel Abel e procurando verificar o processo metateatral desenvolvido por McGuinness em Mutabilitie, este artigo considera que a inserção do metateatro trabalhado por William (Shakespeare), personagem da peça, explora algumas características culturais irlandesas mais básicas, tais como a mágica e o misticismo, através da música e do próprio teatro, acentuando o processo de autorreflexão do teatro irlandês.

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2017v7n3.p175-190

Direitos autorais 2018 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.