CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DO PERFIL COMO GÊNERO EM ‘SINATRA ESTÁ RESFRIADO’

Michelle Moreira Braz, Antonio Carlos Sardinha

Resumo


A apreensão das características gerais, estratégias e delineamentos da produção do perfil como narrativa produzida pelo repórter a partir da apropriação técnica e estética na construção de sentido operadas pelo jornalismo nas especificidades lingüísticas/discursivas é uma questão, por si só, que provoca inquietações de ordem teórica e prática. Compreender a dimensão conceitual do perfil como gênero peculiar no jornalismo e elaborar por meio das técnicas de reportagem essa narrativa demanda problematização que alcance, sobretudo, a instância de produção de sentido, operado pelo repórter-narrador. Neste artigo, o interesse é compreender o perfil como gênero na perspectiva de Mikhail Bakhtin, considerando abordagem teórico-metodológica do teórico russo, a partir da análise do perfil “Frank Sinatra has a cold”, produzido pelo jornalista Gay Talese para a revista Esquire em abril de 1966. Em termos gerais, a compreensão das características de produção do discurso no perfil torna um elemento conceitual para refletir sobre o fazer jornalístico, ética, construção de uma personagem em trânsito com a esfera pública e privada, tomadas de posição – e poder – nas relações entre jornalista e perfilado.

 


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2018v8n1.p61-90

Direitos autorais 2018 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.