A PLATEIA SOBRE O PALCO: A METATEATRALIDADE DO INÍCIO DA IDADE MODERNA NA INGLATERRA

Renato Gonçalves Lopes

Resumo


O presente artigo propõe o estudo da dramaturgia inglesa do início da idade moderna sob a perspectiva do “mundo como um palco”, entendido como protótipo do metateatro, com enfoque crítico na definição de Lionel Abel e no estudo de objetivos teleológicos de Anne Righter, Shakespeare and the Idea of the Play. Tratada como um princípio essencial do teatro do período, a recorrente metateatralidade é apontada em diferentes recursos (a “peça dentro da peça”, a descrição da existência em termos cênicos) de diversas funções dramáticas (uma ruptura no ficcional, revelações importantes do enredo, reflexão sobre o espelhamento do palco), com o que instiga a análise e possibilita a identificação de elementos que demonstrem as qualidades dramatúrgicas, potencialidades cênicas e o contexto de produção de peças. The Spanish Tragedy, de Thomas Kyd, é vista como primordial no fundamento metateatral da dramaturgia em questão e é a principal referência a partir da qual se olha para usos e desdobramentos do metateatro na contemporaneidade de Shakespeare.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2017v7n3.p09-33

Direitos autorais 2018 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.