O TEXTO (EN)CENA: LITERATURA E METATEATRALIDADE NO GIZ-EN-SCÈNE

Marco Aurélio Rodrigues

Resumo


O presente artigo propõe-se a discutir a prática metateatral do Grupo de Leituras Dramatizadas Giz-en-Scène. Formado por alunos e professores da Faculdade de Ciências e Letras, campus da UNESP de Araraquara, a trupe há mais de trinta anos realiza encenações dos textos clássicos com a manutenção do texto em cena. Com um caráter didático, visto que o propósito das montagens é levar ao universo acadêmico o teatro antigo, o grupo, para além de uma discussão sobre as dimensões da apreciação do espectador e interesse desperto pelas apresentações, proporciona um diálogo metateatral, pois ao manter a Literatura em cena, o texto passa a ser parte integrante do processo mimético realizado no espetáculo e, assim sendo, é encenado. A partir da análise da última montagem realizada em Araraquara, com os epigramas de Marcial (séc. I d.C), cuja obra não é dramática, pretende-se demonstrar como a presença do texto em cena reafirma o caráter questionador do teatro e propõe uma reflexão sobre a encenação, o papel do espectador enquanto leitor e, acima de tudo, a performatividade do poeta epigramático.

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2017v7n3.p159-174

Direitos autorais 2018 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.