RADUAN NASSAR E AS RELAÇÕES CULTURAIS EM TEMPOS DE CÓLERA

Mariene de Fátima Cordeiro de Queiroga

Resumo


Um dos conflitos culturais subsistentes na dimensão histórica brasileira diz respeito à relação entre espaço geográfico e construção de identidades. No Brasil, um autor que promove um campo fértil para essas discussões é o paulista Raduan Nassar, particularmente em sua obra Um Copo de Cólera. Esta representação ficcional parece ter assimilado certos aspectos do contexto social da época da ditadura militar. Nosso propósito é estudar os elementos sociais de época como influência na escrita deste autor. Assim como evidenciar também como cada personagem se situa através de suas distintas forças culturais hegemônicas e representativas: o narrador personagem como figura do espaço do campo, e a personagem feminina como referência do espaço urbano; ambos com o intento imaginário do poder absoluto. Além disso, pretendemos relevar os processos de interlocução na delimitação de espaço, resistência e recusa de passagem de fronteira, pela bipolaridade espacial (cidade x campo) nas relações de poder. Para tanto, se faz necessário um estudo aprofundado do contexto histórico da época, assim como a colaboração teórica de Antonio Candido (2008), Renato Ortiz (2006), Alfredo Bosi (1992) e Rossana Reguillo (2005).

Palavras chave: Espaço, identidade, ditadura militar, Raduan Nassar.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2017v7n3.p447-460

Direitos autorais 2018 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.