O CONCEITO DE EXPERIÊNCIA, DE WALTER BENJAMIN, ANÁLOGO ÀS NARRATIVAS HERÓICAS CLÁSSICAS

Guilherme Augusto Louzada Ferreira de Morais

Resumo


Neste artigo, pretendemos demonstrar como o teórico, crítico e filósofo Walter Benjamin fundamenta o conceito de experiência tradicional que, nos textos Experiência e pobreza (1933) e O contador de histórias (1936), nos é apresentado pelo autor de forma não sistemática. Desse modo, nosso objetivo é organizar e analisar o conceito de Benjamin assentado nos textos supracitados a fim de evidenciar que as narrativas mitológicas de cunho heroico da Antiguidade Clássica são casos desse tipo experiência, justamente porque os gregos utilizavam-se dessas histórias para transmitir uma sabedoria transgeracional, ou seja, essas histórias serviam aos gregos como educação de geração em geração.

Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2017v7n3.p385-402

Direitos autorais 2018 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.