MARCAS IDENTITÁRIAS DO SUJEITO SURDO NA ESCRITA DE ARTIGOS DE OPINIÃO: UMA POSIÇÃO MARCADA OU REFLEXO DA CULTURA OUVINTE?

Martha Christina Ferreira Zoni do Nascimento

Resumo


Resumo: este trabalho é parte do resultado da pesquisa intitulada O Português escrito de surdos no Amapá: do processo de interlíngua à língua-alvo e objetivou analisar a posição do sujeito surdo na produção do gênero Artigo de Opinião. Tomou-se, como temática para a análise, a questão do uso de celulares, smartphones e tablets em sala de aula. Nesse sentido, optou-se por verificar de que forma os surdos se colocavam perante essa temática; quais argumentos utilizavam para defender ou refutar uma tese. A base teórica discute conceitos como os de sujeito e de discurso (ALTHUSSER, 1996; PÊCHEUX, 1996; BRANDÃO, 1991; FOUCAULT, 1997), multiculturalidade/interculturalidade (CANDAU, 2008; PAVAN, 2010; PIERUCCI, 1999) e novas tecnologias na educação de surdos (STUMPF, 2010; VAZ, 2012). A metodologia de pesquisa lança mão do dispositivo teórico-metodológico da Análise do Discurso Francesa (FOUCAULT, 1997; ORLANDI, 1999). Foram analisados 18 textos de redações do Processo Seletivo Especial Letras Libras-Português 2015. Os resultados demonstraram que, em seus textos, ainda aparecem refletidos muitos conceitos próprios de uma cultura majoritária oral, apesar de se saber que tecnologias educacionais são instrumentos importantes no processo de ensino do surdo nas escolas.

Palavras-Chave: Sujeito e discurso. Multiculturalidade/interculturalidade.Novas tecnologias na educação de surdos.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2016v6n2.p55-67

Direitos autorais 2017 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.