DE ÁGUAS E DE MEMÓRIAS: CORPOS FEMININOS QUE SE ESCREVEM NA FICÇÃO DE CONCEIÇÃO EVARISTO

Jacob dos Santos Biziak

Resumo


Este artigo pretende estabelecer um trabalho de interpretação de um conto de Conceição Evaristo a partir da perspectiva dos estudos de gênero, levando-se em conta, acima de tudo, o conceito de interseccionalidade. Uma vez que a obra da autora caracteriza-se por, em sua ficção, trazer representações de vivências e personagens negras, a problematização de gênero mostrou-se insuficiente para abarcar o processo de textualização dos discursos presentes no conto escolhido como corpus. Dessa maneira, intenta-se analisar o funcionamento discursivo no que tange à construção do corpo feminino negro em sua relação com a memória.


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2017v7n1.p113-136

Direitos autorais 2017 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.