Entre o desejo de escuta e os (des) velamentos da carne: a mulher entre a voz e o silencio em Dôra, Doralina, de Rachel de Queiroz

Francisca Lailsa Ribeiro Pinto, Éderson Luís Silveira

Resumo


Esta pesquisa qualitativa de cunho documental e descritivo pauta-se na investigação de contribuições do ecofeminismo para os estudos literários a fim de possibilitar problematizações acerca de corpo, gênero e sexualidade. Dessa forma, a partir das contribuições do ecofeminismo lançaremos luzes sobre a primeira parte da obra ficcional Dôra, Doralina, de Rachel de Queiroz buscando refletir acerca do silêncio que se sustenta nas representações desiguais de gênero reproduzidas no imaginário cultural (re)produzido no interior das relações sociais da contemporaneidade. Conclui-se que a mulher, associada à natureza ou não, pode ser percebida a partir da identificação com ações de resistência ao domínio que incide sobre os gêneros e não apenas através do “papel” procriador, maternal, desejado, submisso, silenciado frente aos padrões que reforçam a manutenção de seu estado de dominação.           


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2017v7n4.p223-244

Direitos autorais 2018 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.