MARIANNE NORTH E MARGARET MEE: ARTISTAS BOTÂNICAS NO BRASIL PÓS-COLONIAL

Lívia Segadilha, Renata Gonçalves Gomes

Resumo


Marianne North e Margaret Mee, pintoras do meio-ambiente natural do Brasil, têm seus diários publicados em livros como A viagem ao Brasil de Marianne North 1872-1873 e Flores da Floresta Amazônica: a arte botânica de Margaret Mee. Salvaguardados os diferentes períodos e contextos em que ambas viveram, North e Mee têm similaridades em relação ao seu trabalho como pintoras, além de seus pontos de partida e chegada: Inglaterra e Brasil, respectivamente. A partir disso, esse artigo levantará questões sobre classe e etnia interseccionadas à questão de gênero, comum aos trabalhos de ambas as autoras em seus diários de viagem. Portanto, esse artigo tem como objetivo investigar a relação entre colonizador-colonizado, Inglaterra-Brasil, através da documentação nos diários de North e Mee. A posição de ambas como viajantes e documentaristas no Brasil se torna relevante a partir do momento em que a investigação entre colonizador-colonizado é feita através do olhar estrangeiro feminino. 


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2016v6n1.p44-56

Direitos autorais 2016 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.