O MITO INESIANO NA LITERATURA PORTUGUESA: UMA ANÁLISE NA PRODUÇÃO POÉTICA DE EUGÊNIO DE CASTRO E MIGUEL TORGA

Rondinele Aparecido Ribeiro

Resumo


 

Resumo: O mito inesiano perpassa gerações e se perpetua no tempo. A história de um amor proibido com consequências trágicas foi registrada nas mais variadas estéticas literárias. Do Humanismo, passando pelo Classicismo e pelo Modernismo, algum autor buscou retomar a história trágica entre Inês de Castro e D. Pedro. Assim, o presente artigo objetiva tecer considerações a respeito dessa manifestação amorosa bem como de sua importância mítica para Portugal, já que Garmes e Siqueira (2009) asseveram que o mito inesiano serviu para a construção identitária portuguesa. Dessa forma, após contextualizarmos a temática,  faremos a análise estrutural dos poemas Inês de Castro, de Miguel Torga e Inês e Constança, de Eugênio de Castro. ral de dois como suporte teentes  Sabemos que os dois são pertencentes a épocas bem distintas, mas que têm em comum a temática mítica.  Situaremos a questão da construção mítica de Inês de Castro, utilizando como suporte teórico o texto Mito e realidade, de Mircea Eliade.

 


Texto completo:

PDF Português


DOI: http://dx.doi.org/10.18468/letras.2016v6n1.p376-391

Direitos autorais 2016 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.