Vestígios de Chomsky em M. Pêcheux: da Língua para o discurso alguns diálogos e dissidências

Hélder Sousa Santos

Resumo


Alerta a teorizações de Chomsky (1972), no que toca exatamente à sua conhecida teoria gerativista da língua, este ensaio sinaliza prováveis desdobramentos que M. Pêcheux (1995) delas realizou, ao propor o dispositivo de análise de textos que nomeou de Análise de discurso (AD). Para conseguirmos aduzir parte disso aqui, respaldamo-nos em passagens do texto chomyskiano Linguística cartesiana: um capítulo da história do pensamento racionalista (idem), procurando daí destacar fatos linguístico-lógicos que podem ter servido para, a princípio, Pêcheux (idem) (re)pensar a língua a partir de um ponto de vista-outro, o discursivo. Nesse caso, buscamos fazer um exercício comparativo entre breves passagens de tal texto e a primeira parte da obra pecheutiana Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio (idem); obra que constrói, “como” em Chomsky (idem), explicações lógico-linguísticas, re(a)presentando, por exemplo, diferenças semânticas entre orações relativas explicativas e determinativas.

 

PALAVRAS-CHAVE: Análise do Discurso. Epistemologia. 

Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2012 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.