Anéis de Saturno de W.G. Sebald – Crítica E Sentido

Sylvia Helena de Carvalho Arcuri

Resumo


Este artigo tem como objetivo fazer uma leitura e uma breve análise da obra, Os Anéis de Saturno de W.G. Sebald. Como se trata de uma obra prima, que precisa de um olhar muito atento, delicado e dedicado, qualquer análise feita ficaria aquém de tudo que poderia ser percebido, portanto, partiu-se de um recorte, a quinta parte do livro, que além de outras narrativas se atém na apresentação de dois personagens históricos – Joseph Conrad e Roger Casement. Sebald utiliza de várias formas para que o ajude na composição da sua narração: fotografias, diários, quadros, desenhos, etc., criando assim, um espaço único onde o narrador pode expressar o seu sentimento melancólico ante as ruínas das cidades por onde caminha em busca de uma memória que servirá ao tempo presente.  OS textos de Theodor Adorno, Walter Benjamin e Susan Sontag serviram como suporte teórico, para tal análise.

 

PALAVRAS-CHAVE: Crítica. Sentido. Fotografia. Melancolia. Ensaio.


Texto completo:

PDF Português


Direitos autorais 2012 Letras Escreve

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.