Implicações morais do perspectivismo de Nietzsche

Wagner Lafaiete Oliveira Júnior, Danilo Borges Medeiros

Resumo


O objetivo principal do artigo é o de apresentar as principais implicações morais da teoria do perspectivismo de Friedrich Nietzsche (1844-1900). Para tanto, será necessário dividir a discussão em duas partes. Num primeiro momento, convém apresentar o perspectivismo do filósofo alemão com objetivos metodológicos, em busca de sua principal consequência negativa, qual seja: a impossibilidade de qualquer tipo de extra perspectivação sobre qualquer coisa que seja o mundo ou a realidade. A proposta do perspectivismo é a de que nenhuma consideração avaliativa pode puxar para si qualquer estatuto de neutralidade, outrossim, elas são sintomas de um dado tipo de existência, e assim, são determinadas. Após cumprir este primeiro trecho do trajeto, será apresentado as consequências morais advindas da falta desta escala neutra de avaliação e da constatação de quão determinadas são nossas avaliações e também nossas estruturas avaliativas. Demonstrar-se-á que a moralidade, quando levada em conta o perspectivismo, irá inscrever ser inscrita no plano da imanência da existência. Dadas às várias formas de vida a partir das quais múltiplas sensibilidades se relacionam e se transforma historicamente, a pretensão de justificação dos valores morais incide sobre como estas formas de vida dão conta e enfrentam a existência. Por fim, conveio a tarefa examinar a possibilidade de se se instituir um regime de hierarquização destas formas de vida.

 


Palavras-chave


Perspectivismo – Moralidade - Valores

Texto completo:

PDF Português

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Investigação Filosófica

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.